14.9 C
Vila Viçosa
Terça-feira, Abril 16, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

O adeus ao carvão de Sines

Segundo uma notícia avançada pelo Expresso, a central a carvão de Sines fechou portas há dois anos, mas o desmantelamento será um processo moroso e complexo. O Expresso visitou o que foi uma peça-chave do sistema elétrico nacional durante décadas. E que se prepara para dar lugar à produção de hidrogénio verde.

“Eu vim para cá com 16 anos. Tenho agora 56. Conheço isto de olhos fechados. Já o meu pai trabalhou aqui durante a construção. Isto tem um lado emocional”. Manuel Rocha vai percorrendo os corredores vazios, escuros e silenciosos do edifício da velha termoelétrica de Sines, conduzindo-nos numa visita guiada juntamente com Paulo Carvalho, da equipa de desativação da central a carvão, e Pedro Valderde, do núcleo da EDP que está a trabalhar na nova vida deste espaço, cujos terrenos darão lugar à produção de hidrogénio verde.

Se tudo correr como planeado, daqui a quatro anos praticamente tudo estará no chão – incluindo as icónicas chaminés de 225 metros de altura, com listas vermelhas e brancas no topo. Desaparecerão da linha do horizonte de quem passa na estrada para Porto Covo e o Cercal, transformando um pouco a paisagem industrial deste concelho do litoral alentejano, que já perdeu as águas quentes e cobiçadas da praia de São Torpes.

 

Veja a notícia completa em: Expresso

Populares