32.6 C
Vila Viçosa
Segunda-feira, Julho 22, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

O Cante Alentejano é a cereja no topo do bolo”: Pedro Calado, inauguração do complexo PACT 3.0.

Foi ontem inaugurada a última fase de expansão do Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia (PACT), uma ocasião que contou com a presença do Primeiro-Ministro, Luís Montenegro. O evento, que marcou a conclusão do “Complexo PACT 3.0”, teve lugar em Évora e foi enriquecido pela atuação do Grupo Coral de Évora.

Pedro Calado, ensaiador e porta-voz do Grupo Cantares de Évora, partilhou com a Rádio Campanário a sua satisfação por participar nesta importante cerimónia. “É uma responsabilidade acrescida saber que o cante alentejano está presente nestes grandes projetos”, afirmou. “Quanto mais fizermos, melhor o Alentejo se vai promover além-fronteiras, pois o Alentejo precisa de grandes promoções. O cante alentejano é, sem dúvida, a cereja no topo do bolo. É o ex-líbris da nossa terra, em termos culturais”, acrescentou.

Pedro Calado destacou também a crescente participação dos jovens na tradição do cante alentejano, algo que considera vital para a sua preservação. “Isso tem muito a ver com a parte do canto nas escolas, especialmente no Baixo Alentejo, que é fundamental. Além disso, o facto de o canto ter sido elevado a património imaterial da humanidade também contribui”, explicou. “Estas duas coisas conjugam-se muito bem e trazem gente nova ao canto, que é exatamente o que queremos: que o canto se perpetue no tempo e não morra”.

O ensaiador mostrou-se confiante no futuro do Cante alentejano. “Com o envolvimento dos mais jovens e o reconhecimento do valor cultural do canto alentejano, penso que o legado está assegurado para o futuro”, concluiu.

A inauguração do Complexo PACT 3.0 representa um marco significativo para o desenvolvimento científico e tecnológico do Alentejo, reforçando a sua posição como um polo de inovação. A presença do cante alentejano na cerimónia destacou a rica herança cultural da região, celebrando a união entre tradição e progresso.

Populares