31.5 C
Vila Viçosa
Sábado, Julho 20, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Olá Primavera e olá alergias

Começou hoje a Primavera e, com ela vêm os dias mais quentes, as flores e o pólen. Para muitos portugueses, que sofrem de alergias, esta estação do ano está longe de ser a sua preferida.

Espirros, tosse, dificuldade em respirar, comichão nos olhos, desconforto generalizado e cansaço são apenas alguns dos sintomas que vão começar começar a surgir nos próximos dias para aqueles que sofrem com as alergias trazidas pela Primavera.

Hoje, dia 20 de março, assinala-se o equinócio do primavera e com a subida das temperaturas, reúnem-se as condições ideais para a proliferação dos pólenes (um dos grandes culpados), principalmente no Alentejo, devido à grande concentração de plantas existentes na região.

Segundo o NIT, João Gaspar, imunoalergologista da Sociedade Portuguesa de Alegologia e Imunologia Clínica diz que “as pessoas sofrem mais com alergias durante a primavera por causa dos pólenes, que as plantas emitem em grande quantidade para a atmosfera durante a época polínica”.

Estes grãos de dimensões microscópicas são um dos principais agentes alergénicos conhecidos e provocam uma resposta de defesa inadequada por parte do sistema imunitário às pessoas suscetíveis. Este tipo de alergias são comuns a quem sofre de asma ou rinite alérgica. Para saber qual a melhor forma de lidar com elas, primeiro deverá consultar um imunoalergologista para obter um diagnóstico concreto.

Depois, é recomendado que faça um teste para saber ao que é alérgico. “Se souber, o doente consegue perceber qual é a altura mais difícil do ano”, nomeadamente através da consulta do Boletim Polínico, um serviço gratuito da Rede Portuguesa de Aerobiologia da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica.

Nesta época do ano os níveis de pólenes no ar são mais elevados, é essencial que evite a sua exposição ao mesmo. Não deve passar muito tempo na rua nos dias mais ventosos ou de maior calor e, quando andar de carro, circule com os vidros fechados e o ar condicionado ligado. “Também devem utilizar óculos de sol para impedirem o impacto nos olhos”, acrescenta o especialista.

Mesmo em casa, saiba que também não está completamente a salvo, uma vez que existe um fator a considerar, a ventilação. A circulação do ar deve ser feita ao fim do dia, quando a quantidade de pólen no ar é menor.

O uso constante de descongestionantes também pode ser um ponto negativo para aqueles que sofrem com alergias, uma vez que, como dão um alívio muito rápido, é normal que a tendência seja usá-los constantemente, mas estes “não se devem transformar numa medicação regular”. Quando os utiliza muitas vezes deixarão de ter efeito e, na verdade, até poderão piorar os sintomas das alergias. “Quando param, os doentes ficam piores do que quando começaram”, alerta o médico.

O que muitas pessoas não sabem é que existe um aparelho que pode ser um grande aliado de quem sofre de alergias. Os purificadores de ar — que filtram o ar e eliminam poluentes, tais como bactérias e agentes alergénios, como o pó, bolor, pelos de animais e pólenes — podem ajudar a evitar ataques de asma e rinite alérgica. E têm outra vantagem: muitos modelos também ajudam a eliminar odores fortes (comida, fumo do tabaco, entre outros).

 

Fonte: NIT

Populares