30.4 C
Vila Viçosa
Domingo, Julho 14, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

PJ Militar já deteve suspeito do incêndio no prédio do RC3 em Estremoz

Segundo avançado pela CMTV, a Polícia Judiciária Militar já deteve o homem suspeito de ter ateado o fogo que destruiu uma casa situada no 3.º andar de um prédio propriedade do Regimento de Cavalaria (RC) N.º 3,  que deixou uma pessoa desalojada e uma família de seis pessoas sem acesso à sua habitação, no dia 25 de dezembro.

Para além deste incêndio, o homem é ainda suspeito de ter ateado fogo a um veículo na mesma zona, uma semana antes.

Recorde que, na altura, o comandante dos Bombeiros Voluntários de Estremoz, Carlos Machado, que a pessoa que morava na habitação onde dexorreu o incêndio , mas não se encontrava na habitação destruída pelas chamas, ficou desalojada e a família de seis pessoas que reside na habitação situada imediatamente em baixo e no 2.º andar do prédio foi “retirada por questões de segurança”.

A família foi retirada porque a habitação do 2.º andar ficou temporariamente sem condições de habitabilidade, sobretudo devido a infiltrações de água usada no combate às chamas, explicou Carlos Machado.

Carlos Machado disse que o incêndio está a ser investigado pela Polícia Judiciária Militar por ter deflagrado num edifício militar e também “por haver índicos de fogo posto”.

O alerta para o incêndio foi dado às 19:38 e a chamas foram extintas às 21:22, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora.

Segundo a fonte do CDOS, as operações mobilizaram 22 elementos apoiados por 12 viaturas dos Bombeiros Voluntários de Estremoz, da PSP, do RC3 e da Polícia Judiciária Militar.

 

Populares