16.5 C
Vila Viçosa
Quinta-feira, Julho 18, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Saúde: Autarcas descontentes pedem reunião com Presidente ARSAlentejo

Os Presidentes das Câmaras Municipais de Alandroal, Borba, Campo Maior, Elvas, Estremoz, Monforte e Vila Viçosa reuniram-se, nesta segunda-feira dia 12, na Câmara Municipal de Borba, no sentido de analisar as alterações apontadas para os serviços de Urgência, Internamento e Hospital de Dia, no Hospital de Santa Luzia, em Elvas.

Ao que conseguimos apurar, as medidas aprovadas pelo conselho de administração da Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA), visam o condicionamento ao acesso dos serviços do Hospital de Santa Luzia e ao Hospital de Dia, para os utentes de fora do distrito de Portalegre, continuando estes a ter acesso às urgências.

No final da referida reunião, os autarcas estiveram disponíveis para prestar declarações à imprensa, tendo Armando Varela, Presente do Município de Sousel e também da Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo, dito aos microfones da Rádio Campanário estar surpreendido com estas medidas da ULSNA, e está convicto que irá haver um recuo nestas decisões:

{saudioplayer}http://www.radiocampanario.com/sons/armando_varela_ulsna.mp3{/saudioplayer}

Já Luís Caldeirinha Roma, Presidente do Município de Vila Viçosa, diz estar preocupado com estas medidas da ULSNA, revelando que foi decidido, nesta reunião, reunir com o Presidente da Administração Regional de Saúde do Alentejo:

{saudioplayer}http://radiocampanario.com/sons/roma_ulsna.mp3{/saudioplayer}

Para João Grilo, autarca alandroalense, estas medidas anunciadas “não fazem nenhum sentido”, estando certo que esta situação se inverta:

{saudioplayer}http://radiocampanario.com/sons/grilo_ulsna.mp3{/saudioplayer}

José Rondão Almeida, Presidente da Câmara Municipal de Elvas, vai mais longe e diz mesmo que “isto é um autêntico crime que se está fazendo às pessoas”:

{saudioplayer}http://radiocampanario.com/sons/rondao_ulsna.mp3{/saudioplayer}

“Só pode ser um mal-entendido”, diz Ângelo de Sá, afirmando ainda que irá acionar os mecanismos jurídicos se o compromisso não for cumprido:

{saudioplayer}http://www.radiocampanario.com/sons/sa_ulsna.mp3{/saudioplayer}

Populares