15.9 C
Vila Viçosa
Domingo, Junho 16, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Secretária de Estado do Turismo visitou o Alentejo para conhecer o território, “uma peça chave no desenvolvimento económico da região”, diz Ana Mendes Godinho (c/som e fotos)

Com o objetivo de ficar a conhecer os projetos da Turismo do Alentejo / Ribatejo, a Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, realizou a primeira visita ao território.

A primeira visita da governante teve como objetivo conhecer de perto o potencial e as fragilidades do território, assim como os projetos e as estratégias que estão a ser implementadas no setor que tutela.

A Secretária de Estado do Turismo participou numa reunião com a Direção da Turismo do Alentejo / Ribatejo durante a qual foi apresentada, pelo presidente da instituição, António Ceia da Silva, a estratégia regional para o Turismo do Alentejo/Ribatejo 2014-2020, e explicados os propósitos dos Planos Operacionais Estratégicos que estão a ser desenvolvidos para diferentes produtos turísticos dos destinos.

A Rádio Campanário acompanhou a visita e no final falou com a Secretária de Estado do Turismo.

Ana Mendes Godinho começou por referir que a visita teve o intuito “de ouvir as entidades públicas e privadas, empresários, associações, e perceber os problemas que têm tido, os desafios com que se confrontam para que possamos servir de ponte como forma de ajudar a continuar no desenvolvimento turístico que esta região tem tido”.

A Secretária de Estado diz que “o Alentejo é a prova evidente de que o trabalho em rede e articular entre setor público e privado traz bons resultados, basta pensar no que era o turismo no Alentejo há uns anos e o que é hoje (…) uma peça chave no desenvolvimento económico da região e é ele próprio uma alavanca de outras áreas (…) o meu papel hoje foi perceber que problemas se sentem no dia-a-dia e em que é que podemos ajudar, quer empresários quer entidades públicas no sentido da afirmação do Alentejo também como turismo a nível internacional (…) é preciso conseguir mais e captar mais turistas internacionais para a região”.

A governante avançou que em 2016 a verba proposta para o Orçamento de Estado é a mesma do ano anterior, “as verbas não são individualizadas por projeto, os valores para as entidades regionais de turismo “manter-se-ão (…) no sentido de garantir que estas entidades conseguem desenvolver o seu papel importante nos territórios que têm de dinamizar a atividade turística (…) o orçamento ainda está em discussão mas em termos de proposta é de que se mantenham os valores das entidades regionais de turismo”.

António Ceia da Silva, presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo declarou que a ERT do Alentejo e Ribatejo “está em várias frentes, (…) eu sou um adepto de quem está no terreno e quando há um governante que quer vir ao terreno conhecer, é sempre um aspeto positivo, procuramos mostrar tudo o que estamos a desenvolver, que é muita coisa, (…) é a única região que tem um plano estratégico, (…) são sete planos operacionais estratégicos (…)”.

Ceia da Silva disse que a Secretária de estado do Turismo “ficou sensibilizada pelo trabalho dinâmico e pró-ativo que estamos a realizar no terreno, um trabalho de estudo profundo (…) planeado (…) aqui trabalha-se em conjunto e em equipa, não há intervenções avulsas, é da enorme ligação agregadora que a ERT tem com todas as entidades (…)”, acrescentando que a governante considerou “a nossa entidade um exemplo, isso motiva-nos e encoraja-nos a trabalhar todos os dias”.

Instado sobre a proposta para o Orçamento de Estado de 2016, contemplar valores idênticos ao anterior, Ceia da Silva refere que “houve a preocupação da nossa parte no sentido de que não houvesse uma restrição de verbas em relação a uma região que é hoje 40% do território, tem um trabalho no terreno, temos o quadro comunitário com enormes atrasos (…) e que nos preocupa (…) são três anos parados de execução (…) o que é relevante é que a intervenção no território, mereça um financiamento adequado (…)”, não considerando no entanto que seja o valor disponibilizado o adequado, “desde 2010 temos vindo todos os anos, a perder receitas (…) o que é importante é manter e aumentar o nível de orçamento face ao resultado final que são as exigências (…)”.

Quando questionado sobre sempre ter reclamado mais autonomia, o presidente da ERT diz que tem esperança “que as coisas se concretizem e lutarei sempre por elas seja quem estiver (…) o meu emblema é o Alentejo e o Ribatejo e o meu partido é o turismo (…)”.

O périplo da Secretária de Estado do turismo ao Alentejo contemplou ainda a visita às instalações da Amieira Marina e a algumas unidades de alojamento, e duas sessões de trabalho, uma com responsáveis de organizações e entidades regionais e outra com representantes de associações empresariais do setor.

 

 

Populares