39.8 C
Vila Viçosa
Terça-feira, Julho 23, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

“Elvas é um exemplo a seguir pelo esforço que faz na preservação do património edificado” diz Secretário do Estado da Defesa no dia das comemorações do aniversário da Batalha das Linhas de Elvas (c/som e fotos)

Nas comemorações dos 357 anos da Batalha das Linhas de Elvas, conhecida como uma das mais importantes para a restauração portuguesa, assinalada no dia do feriado da cidade , 14 de janeiro, foram realizadas cerimónias militares militarizadas e homenagens aos mortos em combate.

 Na manhã nebulosa, de 14 de janeiro de 1659 ,o exército português rompeu as linhas de cerco espanholas e lutou com determinação pela sua independência, travando  assim a intenção do rei Filipe IV de avançar militarmente para Lisboa e voltar a conquistar Portugal.

 O início das comemorações decorreu ,nos Paços do Concelho, com o hastear das bandeiras que foi acompanhado pela Banda 14 de Janeiro.De seguida foram colocadas flores no Padrão da Batalha das Linhas de Elvas e no túmulo do ilustre General André de Albuquerque Riba – Fria, no Convento  de São Francisco.

As  cerimónias militares e militarizadas concentraram-se ,no centro histórico da cidade, após uma alocoção  sobre a  história da Batalha da Linha de Elvas, interveio o presidente da Câmara Municipal de Elvas, Nuno Mocinha, bem como o Secretário de Estado da Defesa, Marcos Perestrello, posteriormente , decorreu o Desfile das Forças em Parada , na Rua da Cadeia.
A Rádio Campanário acompanhou estas celebrações e falou com o Comandante das Forças Terrestres, Tenente-General António Xavier Lobato de Faria Menezes, que relembrou o triunfo do exercito militar português da época afirmando que “ há cerca de 400 anos atrás demos um grito de liberdade nesta cidade e para nós militares é sempre um prazer associar-nos aos nossos membros do exército passado que defendeu a restauração.” Realça que “ ter uma cerimónia militar com esta grandeza , com este significado e adesão da população foi para mim gratificante.”

 O Comandante do Regimento de Cavalaria 3 de Estremoz , o coronel Nuno Duarte,fala sobre o percurso militar percorrido nestas comemoraçoes e expressa que   “ qualquer povo perde identidade se não conhecer o seu passado.”

Segundo a Diretora Regional da Cultura do Alentejo, Ana Paula Amêndoeira,  “ estes dias assinalam e ritualizam momentos fundamentais da nossa história que são importantes para o nosso presente e futuro.” Destaca que “Elvas é chamada históricamente de Chave do Reino porque era de facto um ponto fulcral de manutenção da independência das nossas fronteiras.”

Para o vice-presidente da autarquia local, Manuel Valério,  o facto de  muitos jovens terem participado nas comemorações dos 357 anos da Batalha da Linha de Elvas “ é sinal de que o futuro está garantido e que este dia irá continuar a ser assinalado no concelho por muitos anos.” Acrescenta ainda que “ a câmara tem vindo a recuperar todos os prédios militares, a herança dos nossos antepassados. para dar a dignidade que Elvas merece a todos os elvenses .”

A esta Estação Emissora o presidente da Câmara Municipal de Elvas , Nuno Mocinha,  diz-nos que este é um dia muito especial para os elvenses e fala sobre o trabalho realizado no ano transato assegurando que “  estamos satisfeitos com o que fizemos, mas ambicionamos muito mais e penso que estão criadas todas condições para termos a ajuda necessária do governo português ,assim como,  estreitarmos ainda mais as nossas relações com o outro lado da fronteira.”

Ainda em declarações à Rádio Campanário o Secretário de Estado da Defesa, Marcos Perestrello,  recorda que é muito importante que a memória da patria seja celebrada e felicita o município por manter a tradição de assinalar datas marcantes da nação considerando que ” Elvas é um exemplo a seguir, não só pelo esforço que faz na preservação do património edificado como também pela forma como a população adere a estes momentos importantes da nossa história.” Adianta ainda que “ um povo com oitecentos anos de história tem que ter uma identidade muito forte e uma grandeza ainda maior.”

Questionado sobre possíveis alterações politícas na àrea da defesa, Marcos Perestrello, garante que “ a defesa nacional costuma caraterizar-se por uma grande estabilidade na sua ação e é isso que nós procuraremos preservar.”

A Igreja de Nossa Senhora da Assunção acolheu, pelas 18 horas, o Te Deum de Ação de Graças que contou com a participação especial do Coral Pública Hortência de Castro e do Coro Beato Aleixo Delgado.

Populares