Vila Vicosa

“Vila Viçosa foi e é uma vila do Renascimento, não só por via dos Duques de Bragança, mas também das pessoas”, diz investigador calipolense (c/som)

Regional 07 Jan. 2019

Na sequência da reunião de trabalho que juntou os membros que compõem as Comissões Científica, Executiva e Parceiros Institucionais do Processo de Candidatura de Vila Viçosa a Património Mundial, que decorreu no passado sábado, dia 5 de janeiro na Pousada D. João IV, o calipolense Joaquim Saial, Professor e investigador de História e História da Arte, afirmou à Campanário que “realmente os documentos estão muito bons”, porém, “o que eu noto nestes é realmente a falta de pessoas de Vila Viçosa da época do Renascimento e até algumas mais recentes”.

A título de exemplo, o investigador fala de “Padre Espanca, fala-se só do nome e data de nascimento e morte”, por outro lado “o Arquiteto Nuno Portas foi um dos ideólogos deste trabalho” e de quem “nem sequer se fala”. Além deste, “Públia Hortênsia de Castro, que é a nossa humanista, que ainda por cima foi uma mulher que estudou em Coimbra numa altura em que era muito difícil acontecer para uma mulher e não se fala praticamente nela”.

“Vila Viçosa foi e é uma vila do Renascimento, não só por via dos Duques de Bragança mas também das pessoas, entre as quais esta mulher que teve uma grande importância”, acrescenta o investigador.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Dezembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31