15.9 C
Vila Viçosa
Sábado, Maio 18, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Bombeiros de Vila Viçosa promoveram simulacro para testar capacidade de resposta e aferir organização e articulação de socorro (c/som e fotos)

No dia 29 de maio, foi dado um alerta para um acidente de viação, envolvendo dois veículos automóveis e um motociclo, com uma das viaturas a incendiar-se e a provocar um incendio no pasto envolvente ao sinistro, em Vila Viçosa.

Tratou-se de um simulacro a fim de testar a capacidade de resposta e aferir a organização e articulação dos agentes de socorro no exercício, que envolveu os Bombeiros Voluntários de Vila Viçosa.

A Rádio Campanário esteve presente no simulacro para reportar o exercício e falou com o 2º Comandante dos Bombeiros Voluntários de Vila Viçosa, Nuno Pinheiro, tendo referido que desde o início do mês de março, os bombeiros calipolenses têm estado a receber formação, “e hoje é uma avaliação”.

Nuno Pinheiro conta que o exercício realizado este domingo, consistiu “num acidente de viação, a colisão de dois veículos ligeiros e um motociclo, que originou três feridos graves, um dos veículos incendiou-se, provocou um incendio junto ao pasto, (…) tivemos uma serie de intervenções, tanto com carros de incendio, ambulâncias, material de desencarceramento, onde envolvemos seis viaturas e perto de 30 homens”.

Questionado sobre o balanço do exercício, refere que “os balanços são sempre positivos”, embora “haja umas coisas que correm bem e outras menos bem, mas mereceu todas as noites em que o pessoal se disponibilizou e deixou as suas famílias em casa para fazer a instrução contínua, porque isto é para terem mais prática, porque na realidade temos que estar mais aptos e em prontidão para podermos socorrer e salvar em condições e muito bem”.

O 2º Comandante diz ainda que o corpo de bombeiros não tinha conhecimento do exercício, “porque foi feito pelo Comando e pela equipa de chefes que trata das instruções e formalizou-se este tipo de acidente sem os próprios bombeiros terem conhecimento do que vinham encontrar, porque também tem que ser uma avaliação para ver se estas instruções ao longo destes meses, se eles estão aptos e se tiraram alguma rentabilidade das horas em que estiveram na instrução”.

Nuno Pinheiro expressa que este tipo de formação terá que parar nos próximos tempos devido a no dia 1 de junho “começarmos a Fase Bravo, em que já temos uma equipa permanente 24 horas para o DCIF, no mês de julho começamos com duas equipas de 10 elementos e até ao fim de setembro. Agora estamos mais de prevenção aos incêndios, mas estamos cá para tudo, se houver acidentes não vão ficar na estrada por socorrer”.

Populares