25.4 C
Vila Viçosa
Quinta-feira, Maio 30, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

“Preocupado com a saída de médicos do concelho”:Presidente de Aljustrel escreve ao Ministro da Saúde

O presidente da Câmara Municipal de Aljustrel, Carlos Teles, está preocupado com a saúde no concelho.

Para manifestar essa preocupação, o Autarca escreveu uma Carta Aberta ao Ministro da Saúde, reivindicando melhores cuidados de saúde para o Concelho de Aljustrel 

Na missiva enviada pode ler-se “a Câmara Municipal de Aljustrel assumiu a melhoria das condições de saúde no concelho enquanto prioridade absoluta da sua ação, serviço público que perdeu muita capacidade de resposta nos últimos tempos, com a saída, por diversos motivos, de vários médicos de medicina geral e familiar do Centro de Saúde local, situação muito preocupante, que já foi apresentada e discutida em diversas ocasiões com responsáveis políticos, sem resultados minimamente satisfatórios.”

Neste momento, acrescenta “no Concelho de Aljustrel, um em cada três habitantes não tem acesso a médico de família, situação que não pode ser aceite pela autarquia, porque por trás de cada número está uma pessoa.”

O município “exige que cada habitante do concelho tenha acesso a médico de família, até porque se trata de um concelho envelhecido e com acesso insuficiente a transportes públicos para os serviços de saúde centralizados.Apesar de se registarem algumas iniciativas recentes do Ministério da Saúde, como a recente aprovação do regime de dedicação plena de médicos no Serviço Nacional de Saúde, exigem-se resultados imediatos e não apenas paliativos ou soluções que só terão concretização prática daqui a vários anos.”

Entende a Câmara Municipal de Aljustrel, pode ainda ler-se “devem ser implementadas medidas imediatas, que produzam soluções capazes de dar respostas eficazes às populações, com a implementação de programas com provas dadas, como por exemplo, retomar o Serviço Médico à Periferia, que entre 1975 e 1982 permitiu fixar no interior do país centenas de médicos, muitos deles, neste momento, em vias de transitar para a reforma ou já aposentados. Apenas no Distrito de Beja, no próximo ano, serão mais de 50 os médicos nestas circunstancias.”

Outro programa que deve ser implementado com urgência, acrescenta ” visa a criação de uma “via verde” temporária para processos de certificação profissional de médicos estrageiros. Residem em Portugal cerca de 300 médicos extracomunitários disponíveis para contribuir para o Serviço Nacional de Saúde, podendo estes colmatar várias necessidades nos Centros de Saúdes do interior do país. Só no concelho de Aljustrel residem três médicos nesta situação.”

A autarquia garante que “já está a fazer a sua parte e aprovou o Regulamento Municipal de Apoio à Fixação de Médicos no Concelho de Aljustrel, resposta municipal que concretiza a atribuição de apoios à aquisição e aluguer de habitação e deslocação de médicos no concelho.”

Ao Ministro da Saúde, o Município de Aljustrel diz que “quer fazer parte das soluções em matéria de saúde e, neste sentido, solicito uma reunião a V. Exa. com o objetivo de discutir a situação da saúde no Concelho de Aljustrel.”

Populares