13.2 C
Vila Viçosa
Quinta-feira, Junho 13, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Vila Viçosa: “Temos feito tudo (…) apoios extra, professores que se disponibilizaram a prestar apoio (…) já estávamos à espera”, diz Rui Sá sobre classificação obtida no Ranking das Escolas 2015 (c/som)

O diretor do agrupamento de Escolas Públia Hortênsia de Castro aponta as razões para os maus resultados alcançados pelos alunos do 9º ano, no Ranking das escolas 2015, com a interioridade comparada com os grandes centros e a comparação entre escolas públicas e colégios.

Em declarações à Rádio Campanário, Rui Sá começa por desvalorizar os rankings questionando a forma como são feitos, referindo que “o que é tido é conta é que todos os alunos que atingiram o 9º ano têm ou não positiva a todas as disciplinas, obviamente que é complicado”, salientando, “quando tivemos o exame de matemática, as notas foram muito más, foram francamente más, já tive a ocasião de debater o assunto com o grupo de matemática para tentar encontrar soluções e ver o que não esteve bem, tentar fazer o melhor que é sempre o nosso objetivo”.

O diretor diz que “tem havido uma evolução muito positiva nos resultados, nomeadamente nas provas de avaliação externa e este ano pela primeira vez na história do Agrupamento tivemos um crédito horário de 20 horas que canalizamos para a contratação de um professor de matemática, precisamente devido aos maus resultados obtidos nos primeiros anos e portanto a ideia é continuar a fazer melhor e progredirmos cada vez mais”.

Rui Sá considera não ter grandes explicações para os maus resultados na disciplina de matemática, “não só em Vila Viçosa mas em termos nacionais é sempre a disciplina com piores resultados, temos feito tudo (…) apoios extra, professores que se disponibilizaram a prestar apoio aos alunos para quebrar esta tendência (…) este ano já estávamos à espera, também depende do grupo de alunos de ano para ano e isso reflete-se”.

Quando questionado, o diretor do Agrupamento de Escolas Públia Hortênsia de Castro de Vila Viçosa, refere que as turmas não são muito grandes, “constituídas por 22 a 23 alunos, há turmas que têm necessidades especiais (…) devemos ressalvar o nível socio económico em que vivemos, os rankings também não têm isso em conta, comparam colégios particulares com colégios públicos das grandes zonas como Lisboa, Porto e Coimbra com colégios do interior Norte, Centro e Sul e do Algarve, não é tido em conta o nível sócio económico da região em que nos encontramos, isso é comparar o que é incomparável, é muito difícil fazer rankings nestes termos e em cada ano se inventa uma coisa nova, ou conseguimos um lado ou conseguimos outro, mas penso que estamos no bom caminho”.

A Escola Secundária Públia Hortênsia de Castro de Vila Viçosa obteve a 346ª posição a nível nacional, com uma média de 10,25%.

No distrito de Évora, o ensino secundário surge na 4ª posição, com uma média de 10,26%.

O Ranking do 9º ano indica a Escola Secundária Públia Hortênsia de Castro na posição 15ª e em 1003 comparada com as escolas nacionais, com uma média negativa de 2,53%.

Relativamente ao 6º Ano, a Escola Básica D. João IV está em 2º lugar no distrito de Évora e em 277 a nível nacional, registando uma média de 3,18%.

O Ranking do 4º Ano refere que a Escola Básica de Carrascal de Vila Viçosa ocupa o 7º lugar, no distrito de Évora e a posição 945 a nível nacional e uma média de 3,52%.

Comparativamente ao ano transato, houve uma melhoria de resultados nas avaliações do 4º Ano, 6º Ano e Secundário, mas com o 9º Ano a registar uma média negativa.  

Populares