30.4 C
Vila Viçosa
Sábado, Julho 20, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

JMJ Elvas:“A partir das Jornadas Mundiais da Juventude a Igreja não será igual” diz Padre Ricardo Lameira (c/som e fotos)

A Arquidiocese de Évora acolhe até ao próximo dia 5 de agosto cerca de 7500 jovens peregrinos, que participarão nos Dias nas Dioceses (DnD) e de seguida na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023.

Os jovens são oriundos de 31 países e vão serão acolhidos pelos 15 COP – Comité Organizador Paroquial, que estão espalhados pela Arquidiocese, nomeadamente Alcácer do Sal, Borba, Benavente, Coruche, Elvas, Estremoz, Montargil, Montemor-o-Novo, Mora, Reguengos de Monsaraz, Samora Correia, Sousel, Vendas Novas, Vila Viçosa, e Évora.

A Rádio Campanário foi até Elvas para saber como se preparou a cidade e as Paróquias para acolherem os cerca de 300 jovens estrangeiros que vão receber e falou com o Padre Ricardo Lameira, de Elvas, que começou por nos referir “a primeira preparação foi uma material que passou depois para a preparação também espiritual, ou seja, tivemos um grupo de pessoas que formaram o COP e que nas suas várias vertentes.”

A partir desse momento, explica “todos estes elementos convidaram jovens para acolherem outros jovens e desta forma contamos com a participação dos jovens da Paróquia de Elvas e de Campo Maior”.

Para amanhã, dia 27 de Julho, vai realizar-se uma vigília de oração que contará com a presença do arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho que, como nos explicou o Padre Ricardo Lameira “é sempre importante a dimensão espiritual porque o santo Papa quando criou as Jornadas não foi para um simples ato de diversão.”

O responsável adianta ainda “este é um ato de encontro com Cristo e com o outro, na diversidade da cultura, da mentalidade, da língua, mas na unidade do mesmo Jesus.”

“Trata-se de um encontro intergeracional, intercultural e a partir daqui vai-se abrindo mais e mais para a necessidade de Deus” adiantou ainda o Sacerdote que “acredita ser possível congregar em Elvas, em uníssono, os 700 jovens que aqui vão estar porque a Espiritualidade não é uma coisa que se vive em comunidade, é uma experiência que se vive de forma muito pessoal .”

Apesar da diferença da língua, o Pároco acredita “que os Portugueses se sentem entrosados porque a forma do outro rezar traz uma novidade e a novidade eterna tem um nome; é Jesus Cristo.”

“O canto, a dança, a oração, o silêncio, são apenas caminhos para encontrar esse deus” acrescentou ainda o Sacerdote. No programa agendado para Elvas, o Padre Ricardo Lameira destaca o momento de sábado à noite pois, como explica “vamos realizar aqui a vigília mariana que é ao mesmo tempo missionária, ou seja, vamos começar três procissões ao mesmo tempo, cada uma em seu lado da cidade, e os três grupos vão rezando no caminho e chamando as pessoas que queiram juntar-se a eles para se concentrarem todos na sé, onde ocorrerá uma oração comunitária e uma serenata a Nossa senhora.”

O Sacerdote Ricardo Lameira destacou ainda a realização da missa de domingo junto ao Santuário do Senhor Jesus da Piedade.

O sacerdote conclui referindo “a partir das Jornadas Mundiais da Juventude a Igreja não será igual” realçando “não duvido que os jovens e os adultos das paróquias de Elvas e Campo Maior vão sair mais coesos.”

 

Populares